topo logo wcs
Pesquisar
Close this search box.

Ataques cibernéticos – o que são e como se proteger?

07.06.21 WCS AtaqueCibernetico Blog

De acordo com a Symantec, o Brasil é o terceiro país que mais recebe ataques cibernéticos em dispositivos conectados à internet, onde 9,8% de todas as ameaças detectadas pela empresa ocorreram no país. A China ocupa o primeiro lugar (com 24%), seguida dos Estados Unidos (10,1%).

Ataques na internet são as tentativas de criminosos cibernéticos de destruir, danificar ou tornar indisponível uma rede de sistemas. Tais infrações podem fazer com que dados sigilosos sejam roubados ou expostos, causando a extorsão e exposição de informações confidenciais armazenadas.

Estes ataques geralmente ocorrem com diversos objetivos, visando diferentes alvos e usando variadas técnicas. Qualquer serviço, computador ou rede acessível pela Internet pode ser alvo de um ataque, da mesma forma que também qualquer computador com acesso à Internet pode participar de um ataque. Existem muitas razões para os criminosos lançarem ataques na Internet, desde simples entretenimento a atividades ilegais. Suas motivações geralmente estão relacionadas à exibição de poder, prestígio, finanças, ideologia e motivações empresariais.

Hacker x Cracker

O termo hacker é popularmente usado para definir uma pessoa que possui interesse e um vasto entendimento da área de computação/informática, sendo capaz de fazer hack (uma modificação) em algum sistema computacional. Entretanto, tal definição não é totalmente correta, pois hackers são pessoas que trabalham desenvolvendo ou modificando softwares e hardwares de computadores, não necessariamente para cometer algum crime. Ou seja, qualquer pessoa que tenha um profundo entendimento em determinada área da computação, descobrindo utilidades além das previstas nas especificações originais, pode ser chamado de hacker.

Já os crackers são pessoas que praticam a quebra de um sistema de segurança. Eles visam burlar a segurança eletrônica para obter alguma vantagem ou prejudicar pessoas e empresas e são denominados como cibercriminosos, uma vez que utilizam seu conhecimento para praticar coisas ilegais.

Ambos os termos se referem a indivíduos com alto nível de conhecimento e habilidades para encontrar brechas de segurança em sistemas de computadores e dispositivos móveis. Entretanto, o objetivo final de cada um deles é o que os diferencia.

Ataques cibernéticos mais comuns

Ataque DDoS – Sigla para “Negação Atribuída de Serviço”, esse ataque tem como finalidade sobrecarregar as atividades do servidor de um computador, provocando lentidão e tornando os sites indisponíveis para acesso.

Phishing – Crime virtual – geralmente realizado na forma de e-mail – no qual criminosos levam os usuários a revelarem informações sigilosas, incluindo senhas, dados bancários e CPF.

Cavalo de Tróia – Um tipo de malware (programa de computador desenvolvido para infectar o computador de um usuário legítimo e prejudicá-lo de diversas formas) que opera somente com “autorização” do usuário. Por exemplo, se o indivíduo executou algum anexo de e-mail de remetente suspeito ou desconhecido, ou executou algum download, o vírus pode vir camuflado nesses espaços.

SQL Injection – é um tipo de ataque que manipula o código SQL, ou seja, uma linguagem usada para trocar informações entre um banco de dados e um aplicativo. Isso significa que os criminosos podem acessar diferentes tipos de dados confidenciais.

Brasil teve mais de 8,4 bilhões de tentativas de ciberataques em 2020

De acordo com dados obtidos pelo FortiGuard Labs, o laboratório de inteligência de ameaças da empresa de segurança cibernética Fortinet, o Brasil teve mais de 8,4 bilhões de tentativas de ataque cibernético no ano passado, enquanto o número total de tentativas na América Latina e no Caribe foi de 41 bilhões.

O estudo também mostrou que o trabalho remoto ainda é a porta de entrada para ataques nas redes corporativas. Um grande número de solicitações HTTP maliciosas foi detectado e vulnerabilidades em vários roteadores domésticos foram usadas para executar comandos arbitrários. Isso pode ser uma tendência, pois mais pessoas trabalham em casa com menos proteção e mais acesso aos dados corporativos.

Veja algumas dicas que vão ajudar você a manter seu computador seguro:

  • Mantenha os programas instalados atualizados;
  • Use apenas softwares e programas originais;
  • Utilize mecanismos de proteção, como antivírus e firewall;
  • Tenha cuidado ao abrir arquivos e links desconhecidos;
  • Mantenha a data e a hora do computador atualizadas;
  • Evite conectar o computador em redes públicas;
  • Não compartilhe senhas de computador e de serviço na Internet ou em telefones celulares.

A WCS Conectologia oferece soluções que priorizam a segurança e a alta performance para empresas que necessitam de confiabilidade nas suas comunicações. Sabemos que a melhor forma para se proteger virtualmente é contar com ferramentas exclusivas, por isso, disponibilizamos para você gratuitamente o nosso e-book “Anti DDos”. Entre em contato, baixe agora e tenha mais informações sobre nosso portfólio de produtos voltado à segurança de dados.

 

Compartilhe esse post

Pesquisar

Inscreva-se na nossa

Newsletter

Sua empresa está pronta para responder a ameaças cibernéticas?

Em primeiro lugar, empresas que adotam a tecnologia da informação…

Vigilant: Proteção Avançada com Inteligência Artificial da WCS

Vigilant é uma solução de proteção avançada da WCS, que…

Como escolher a melhor operadora de Link Dedicado para sua empresa?

Antes de mais nada, o Link Dedicado, também conhecido como…

Desvendando a Importância dos Firewalls na Proteção contra Ameaças Cibernéticas

A segurança cibernética, antes de mais nada, é uma preocupação…

Quais os custos que uma empresa tem por uma falha na segurança?

Os custos reais e ocultos de uma falha de segurança…

Uma rede segura é fundamental para que o varejo brilhe no Natal

Nos últimos anos, a ascensão do comércio eletrônico tem redefinido…